Tuesday, December 20, 2016

Poemas natalinos

Oração para o Menino Jesus no Natal de 2014



Encanta-me o presépio que contemplo,
o boi que, adorante, já não muge,
a estrela que, no alto céu, refulge,
a gruta transformada agora em templo.

Descansas em humilde manjedoura,
de animais humanos, alimento,
da Virgem Mãe Maria, és o rebento,
trazendo esperança imorredoura.

Que eu possa, como o justo São José,
no coração, guardar-Te, Deus Menino,
que a minha vida seja como o sino

a despertar, alegre, o dom da fé.
Que possa eu seguir-te de Belém
até a cruz e além da cruz. Amém.





Imagem: "O Natal", de Jacob de Backer



Oração ao Menino Jesus no Natal de 2015


Jesus Menino, Deus do céu descido,
na pobre manjedoura estás presente,
quem fica, nesta cena, indiferente?
Quem pode não amar a Deus nascido?

Os astros todos cantam glória a Deus,
pastores encontraram seu Pastor!
Reis magos trazem dons a seu Senhor,
e a Terra, enfim, se volta para o Céu!

Maria Te envolve com carinho,
dos animais recebes o calor.
A estrela mostra a todos o caminho

à gruta, e nos recebe São José,
que guarda o pequenino Criador!
Jesus, recebe a minha pobre fé!







Imagem: "O Nascimento de Jesus" (1304-06), de Giotto


Oração ao Menino Jesus no Natal de 2016


Quisera contemplar-te, Deus Menino,
quisera com o boi e com o burro,
que adoram com mugidos e com zurros,
louvar-te com os mais suaves hinos.

Quisera acalmar o teu chorinho,
ninar-te e fazer-te cafuné;
levar a ti o dom que dás, a Fé,
cobrindo-te de mimos e beijinhos.

Depois, com os pastores, voltaria
glorificando a Deus por tua vinda,
mistério de um amor que nunca finda,

da luz que brilha e aquece a noite fria
do homem que sofria no pecado,
e agora espera em Deus, sempre a seu lado.



Imagem: “O Menino Jesus”, de Giambattista Foggini




Mistérios Gozosos


A Encarnação do Filho de Deus no ventre puríssimo da Virgem Maria


Após espera longa pelos tempos,
à Virgem, anuncia Gabriel
que a terra então será unida ao Céu,
de Deus, seu ventre puro será templo.

Se Eva, respondendo ao Tentador,
a Deus dissera “não” e assim a Graça se
perdeu. Maria Virgem com o “Faça-se”,
por todos nós diz “Sim” a Deus Amor.

Encarna-se na história o Criador
e assim se faz a nova Criação.
Ó Virgem, que em cada coração

habite o Filho teu, Nosso Senhor.
Que respondamos “Sim” ao Deus do Céu,
seguindo teu exemplo, Mãe Fiel




Imagem: "Anunciação" (1455), de Benedetto Bonfigli



A Visitação de Santa Maria a sua prima Isabel


Levando em teu ventre o Santo Filho
caminhas pressurosa para a serra.
Teu gesto, nossa Mãe querida, encerra
espírito apostólico e auxílio.

E apenas por ouvir a saudação
que Tu, Santa Maria, pronuncias
reconheceu Jesus com alegria
no seio de tua prima, São João.

És Mãe de Deus e Bem-Aventurada,
por ter acreditado e respondido,
e chega hoje aos nossos ouvidos

o Canto de louvor, ó Mãe amada,
escola de humildade e de oração,
que alenta o amor e a adoração.




Imagem: "A Visitação" (1610-13), de El Greco



O Nascimento do Senhor Jesus em Belém


Ó Noite pelos tempos ansiada!,
na qual nos vem ao mundo o Redentor.
No alto brilha um grande resplendor,
é toda vida agora iluminada!

O Sol do Alto vem nos visitar
e encher as nossas vidas de Esperança.
Nasceu da Virgem Santa a Criança,
Emanuel que veio libertar!

Os anjos cantam “Glória a Deus no Céu”,
os corações se enchem de ternura,
se alegra hoje toda criatura,

pois em Belém chegou o Emanuel.
Nos braços de Maria e de José,
repousa o Autor de nossa Fé.




Imagem: "Natal" (1732), de Giovanni Battista Tiepolo 


A apresentação do Senhor Jesus no Templo


Assume tudo, o Verbo Encarnado,
exceto o pecado, e cumpre a lei.
Com humildade, do Universo, o Rei,
é pela Virgem Mãe apresentado

no Templo, antecipando aquela oferta,
que no Calvário trouxe a Redenção.
Maria O apresenta ao coração
daqueles que mantêm a porta aberta.

De Simeão, o canto e a profecia
ecoam pelos tempos: “Tu Menino,
és Salvação, és luz, ó Pequenino;

e a espada, o coração da Mãe Maria,
traspassará, mostrando a união
da Virgem e de Seu Filho na missão”.




Imagem: "A Apresentação de Cristo no Templo" 
(1433-34), de Fra Angelico




O encontro do Senhor Jesus no Templo depois de três dias


Perdido e reencontrado, Meu Senhor,
nos dás lições de dor e alegria.
Na espera após a cruz, compreenderia,
Maria, aqueles três dias de dor.

Buscar-Te, nós devemos, com amor,
se acaso, por pecarmos, Te perdermos;
se tudo parecer um triste ermo,
ao fim Te encontraremos, Redentor!

Tu falas a Maria e a nós:
na Casa de Teu Pai Te encontraremos.
À Igreja, confiantes, acorremos

e nela escutamos Tua voz.
Por ela a Verdade é exposta,
trazendo às nossas vidas a resposta.





Imagem: "Jesus entre os Doutores" (1630-35), de Paulus Bor

No comments: