Monday, July 25, 2005

Liturgia e vida

Para quem crê, a adoração a Deus é o centro da existência. Para o católico, essa verdade revela a centralidade da Liturgia em sua vida. Esta deve ser escola de adoração, que nos ajude a viver o Mistério de Deus celebrado em seus ritos, vivendo a partir deste Mistério em nosso cotidiano.

Alguns sacerdotes, sob o pretexto de romper uma possível antinomia entre a Fé e a vida, procuram que a Liturgia, tida como incompreensível, seja mais "simples", mais "popular". O único que conseguem é empobrecê-la, torná-la vulgar, banal. Assim, a vida (dessacralizada) transforma-se na regra da Fé, ao invés da Fé tornar-se a regra da vida! O resultado é um culto equívoco – muitas vezes dirigido à própria emoção, à mera fraternidade, às músicas e ao sacerdote "animados"... – e, na vida, a desorientação espiritual.
Os momentos críticos da história de Israel, de exílio, nasceram durante as crises de adoração, durante períodos de idolatria. A questão litúrgica é de uma importância vital: vivendo equivocadamente a Liturgia, vivemos "desterrados", longe da Pátria Celeste! E nem mesmo encontramos o sentido de nossa tarefa no mundo...